Os casacos de tweed apareceram mais ou menos no final do século XIX. Eles foram destinados às atividades desportivas, em particular, à caça. Como diz a lenda, pela primeira vez um paletó de tweed foi testado em uma mansão do duque Norfolk. Graças a isso surgiu o segundo nome desta peça de vestuário.

Naqueles tempos o casaco Norfolk era feito de tweed e tinha três ou quatro botões e um cinto. Também ele tinha umas dobras para a liberdade de movimentos e uns bolsos grandes onde guardavam os cartuchos e a provisão. Como os caçadores portavam uma espingarda no ombro, o pano dessa área bem como da área de cotovelos desgastava-se rapidamente. Para evitá-lo essas áreas foram reforçadas pelas remendas especiais de um tecido mais grosso.

Em 1920 o casaco de tweed perdeu os seus cinto e dobras o que o tornou mais democrático. Agora ele foi usado não só para a caça mas também para qualquer atividade de lazer ou mesmo como uma alternativa ao fato formal. Ele era considerado uma peça de roupa desportiva.

Hoje em dia um casaco de tweed é uma excelente solução para lazer e trabalho. Um casaco de tweed clássico tem uma fila de botões, bolsos, cotoveleiras e uma gola especial. Quando começaram a usar casacos de tweed nos escritórios, as cotoveleiras também ajudaram a evitar o desgaste do tecido por causa do contacto constante com a mesa.

Casacos de tweed, as tendências da moda

Um casaco de tweed com cotoveleiras é uma ótima opção para aqueles que apreciam o requinte e a originalidade do seu vestuário.

Se anteriormente as cotoveleiras tinham um propósito funcional e protegiam o tecido do casaco do desgaste, hoje elas são uma adição elegante. Um homem que veste um casaco de tweed com cotoveleiras tem uma aparência elegante e atraente.

O modelo deste tipo combina-se bem com as peças clássicas e com a roupa quotidiana. Ele pode ser usado com uma camisa ou suéter, com todos os tipos de calças e sapatos. As cotoveleiras dão um toque especial e a individualidade.




Voltar à lista

De cima